7 de outubro de 2016

Depoimentos

 

Faço a Psicoterapia Tântrica há alguns meses e já posso enumerar várias conquistas feitas por mim com a parceria desses profissionais maravilhosos da Casa de Lakshmi.
Na correria que estamos vivendo escolhi ter um tempo comigo buscando a minha essência e encontrei um espaço onde o trabalho é acolhedor, amoroso, honesto e muito sério.
Embarquei e embarco nesse carrossel de emoções que é me descobrir, encontrar a minha criança interna e viver harmoniosamente e feliz com ela!!!
Se acolha, se ame e embarque você também!!!!
Gratidão,

Christiane Leite
“A cada encontro eu ia tomando consciência dos meus sentimentos mais profundos e dos sinais do meu corpo, voltei a entrar em contato com o meu ser, feminino, mulher…e uma das coisas que me chamou atenção é que eu já não me permitia sentir prazer, era muito contido, foi qnd em uma das sessões tive um orgasmo tão intenso e “pra dentro” como se todo o meu corpo vibrasse sustentando essa sensação, lembro que primeiro pensei: será que era pra eu sentir isso?, mas meu corpo nesse momento deixou o controle de lado e se permitiu gozar, contorcer, o som saiu pela minha garganta e me dei conta da potência guardada dentro de mim, e pensei, porque guardar? Ainda tenho muito o que trabalhar para responder essa e outras perguntas, mas dar esse passo foi ter a coragem de me aprofundar, reconhecer e dar importância a mim mesma para que eu possa cada vez mais me expressar sendo leal aos meus sentimentos. Sem controle e sem medo. Sendo eu.”
Marianne Panazio

 


Putz!!! como às vezes se torna difícil colocar em palavras… e poucas … aquilo que pensamos ou sentimos sobre determinada pessoa, Obra ou vivências.
Fazer um depoimento sobre algo ou alguém não é tarefa muito fácil, pelo menos pra mim… Mas, ainda assim, vou tentar resumir o que vejo na Casa de Lakshmi.

Uma Casa bonita e dinâmica onde o novo e o criativo, unindo-se à sabedoria da experiência, transitam por seus espaços! Desse encontro, vão surgindo cores onde luzes e sombras ‘humanas’ são vistas e trabalhadas com profissionalismo, competência e amorosidade.
É nesse lugar que está se tecendo uma rede de saberes e sabores que merecem ser vistos, experimentados e apreciados.

Alcina Augusta
“Bem o que eu tenho a dizer sobre o Tantra na minha vida, é que houve uma profunda mudança em minha forma de ver, de sentir, de me conhecer e até de me relacionar com outras pessoas.
Não estou falando aqui de um Tantra que foi deturpado, vulgarizado e marginalizado.
A energia, a vibração, a luz que pode-se sentir em alguém que pratica o Tantra é algo que eu não consigo traduzir em palavras, mas posso afirmar que é o eu quero para mim.
Hoje tenho certeza de que algumas couraças estão sendo desfeitas, que um mundo novo irá se abrir para mim.
Ainda tenho muito o que aprender, mas o caminho é um caminho de ida sem volta.
Tenho a sensação de que tudo que eu vivi até hoje não chega a 1/8 do que tenho para viver.
Vou em frente na certeza de que o caminho do Tantra só trará benefícios para minha vida.”

Sandra Falcão

 


Penso que se a terapêutica é um processo, então é movimento, razão pela qual nada permanece o mesmo de uma sessão para a outra, de um dia para o outro.
Parece-me meio superficial tentar descrever o processo terapêutico tântrico, porque é profundo e deixa marcas sutis e, ao mesmo tempo, retira outras tantas. Ao mesmo tempo que provoca alegrias, também desperta tristezas, seja através do prazer de um toque, mas também através de um olhar diferente para o medo.
Gargalhadas presas que se soltam, risos contidos que se alargam, lágrimas condensadas que se derramam, luzes que voltam a brilhar nos olhos.
Muitos sentires foram surgindo aos poucos, fluindo e me surpreendendo, porque não sabia das suas existências! Isso tem me aliviado de “pesos existenciais”, trazendo mais leveza e alegria para o meu dia-a-dia, e vontade de estar mais próxima do outro e de mim mesma.
Percebo emoções inesperadas frente a pequenas coisas, o que sempre me surpreende. Aquele desconhecido que inicialmente me causava temor, com o processo terapêutico vem trazendo mais serenidade, conforto, amorosidade… e começa a fazer sentido!
Dúvidas e confrontos internos ainda me surgem, como “Será que você ainda tem idade para sentir tamanhas emoções? Para experimentar esses medos, prazeres, risos e lágrimas, tristezas e desafios?”
Hoje já tenho a resposta: SIM!, tenho o tempo certo, a idade adequada, e o coração aberto, porque ainda tenho MUITO o que aprender nesta vida. E QUERO!

AM, 66 anos
“O Tantra tem suas belezas e confusões. Aprecio as belezas. Respeito as confusões.
Como em todo e qualquer trabalho, depende do profissional. O Tantra nas mãos de profissional irresponsável, vira promiscuidade. Nas mãos de Profissional sério, é transcendência e evolução.
Sou grata por ter conhecido a Terapêutica Tântrica na Casa de Lakshmi, que faz belíssimo trabalho através da conjunção de uma Poderosa Trilogia – Tantra, Reiki e Bionergética. Sou grata!”

Cláudia Waksman

 


O Tantra me partiu toda, em pedacinhos bem pequenos. Agora entendo o que aconteceu comigo… Tudo o que eu era, deixei de ser, ou quase tudo. O bom de mim continua aqui. Mas a sensação que tenho é que crenças de décadas, ou mais que isso, todas as crenças familiares de muitas gerações que estavam dentro de mim, estão se quebrando. O que tenho vivido é maravilhoso! O meu corpo faliu, não tenho como resistir, não é possível resistir, abandonar tudo isso e ver um novo eu, um eu cheio de amor é assustador! Parece que estou morrendo, caindo num buraco, tentando me agarrar… mas não tenho ao que me agarrar. Ainda não sei como sou, como viver o dia a dia a partir dessa nova pessoa. O velho não faz mais sentido, e o novo ainda não confio que vá funcionar. Eu sei que vai, mas o meu ego é poderoso, e ainda fica nessa luta diária. Estou vivendo um momento de tanto amor!! Meu namorado me pediu em casamento. Foi tão lindo!! Tudo na minha vida é maravilhoso, e ainda não estou conseguindo desfrutar disso plenamente. Tem sido super enriquecedor e assustador ao mesmo tempo…
A.V. empresária
“Na última sessão meu corpo experimentou uma força explosiva.
Minhas pernas, braços, pés e cabeça queimaram, como se toda a minha energia percorresse meu corpo muito rápido. Então, pela primeira vez em minha vida, senti algo que busco há algum tempo: tudo se acalmou e uma paz preencheu todo o meu ser; me senti completamente entregue a Deus! Me entreguei de corpo e alma para esse sentimento… não sei o que é, nem como devo fazer daqui pra frente, mas a paz e a certeza que tudo vai ficar bem me deram muita alegria. Pela primeira vez experimentei a fé incondicional em mim mesma.”

Marina Castanheira